O que é a Membrana Basal?

O que é a Membrana Basal?

A membrana basal é um dos componentes da matriz extracelular e está intimamente relacionada às células epiteliais. Está disposto como um tapete molecular entre a base da camada germinativa (células basais do epitélio) e elementos do tecido conjuntivo.

É co-sintetizado por essas células e fibroblastos do tecido conjuntivo e consiste em colágeno tipo IV, laminina e proteoglicanos associados ao corpo da matriz.

Essa estrutura permite que as células epiteliais se ancorem ao tecido conjuntivo e tem um papel importante na seleção por tamanho e carga e no transporte de moléculas e células no meio extracelular através do epitélio. A integridade da membrana basal é importante para a manutenção da atividade funcional das células epiteliais nas quais elas residem, e também é essencial para a função de filtragem que controla a passagem de macromoléculas e agregados moleculares.

Ao analisar a microscopia eletrônica de transmissão (TEM), duas regiões na composição da camada basal podem ser distinguidas:

Camada densa: Formada por uma malha molecular composta por colágeno tipo IV, cujas moléculas estão dispostas em uma peneira semelhante a uma grade de jardim, com eficiência de filtração proporcional ao número de peneiras moleculares sobrepostas, tornando-a variável em espessura. densa, está diretamente relacionada à demanda seletiva do epitélio associado.
Lâmina rara ou transparente: Determinada como a área entre a membrana plasmática (PM) que define o pólo basal das células germinativas epiteliais e a rede molecular da lâmina compacta. Nesse espaço, as cadeias encolhidas do glicocálice da célula epitelial são projetadas para se associarem a moléculas de proteoglicanos do ambiente extracelular. Há também a proteína laminina, que atua como reguladora do estado de diferenciação das células epiteliais e pode ser vista ancorada ao MP ou aderida às densidades da lâmina dependendo do momento funcional das células epiteliais.

Outra macromolécula presente é a fibronectina, que atua como um grampo molecular, estendendo-se entre as densidades do MP e da lâmina nas células epiteliais. Sua ancoragem ao MP ocorre por meio da ligação às integrinas (proteínas transmembranares intrínsecas), que também servem como âncoras ao citoesqueleto do lado citoplasmático.

As camadas raras e densas juntas formam a camada basal do epitélio e só podem ser distinguidas sob microscopia eletrônica de transmissão.

Diabetes: Problemas de cicatrização e circulação, às vezes aumento do espessamento da membrana basal e mais colágeno IV e laminina.
Adesão leucocitária defeituosa: é hereditária e os leucócitos requerem integrinas para aderir à membrana basal, resultando em infecções bacterianas e fúngicas agudas da pele e das membranas mucosas.
O grau de dano ao tecido de suporte é um dos fatores que determina o tipo de reparo do tecido danificado.

Veja Também