O que são as Trompas de Falópio?

O que são Trompas de Falópio?

As trompas uterinas, também conhecidas como trompas de Falópio, são duas trompas retráteis, com cerca de 10 centímetros cada, que se estendem do canto lateral superior do útero até as laterais da pelve. As trompas de Falópio transportam os óvulos que rompem a superfície dos ovários para a cavidade uterina. O esperma passa por eles em direções opostas, que geralmente é onde ocorre a fertilização. A trompa de Falópio é dividida em quatro partes: útero, istmo, ampola e infundíbulo.

As trompas de Falópio estão localizadas na borda superior do ligamento largo do útero, cerca de 8 a 10 mm abaixo da abertura superior da pelve. Cada um deles está suspenso por uma prega peritoneal, a mesossalpinge.

As trompas de Falópio são guiadas lateralmente em cada meia-pelve, do corno lateral superior do útero até a extremidade uterina do ovário, sobre a borda mesentérica e curvadas sobre a extremidade tubária do ovário, terminando assim na superfície medial, sua margem final livre. Essa posição facilita a captura do oócito quando ele é liberado do ovário.

Parte da trompa de Falópio
Do ovário ao útero, a trompa de Falópio é dividida em quatro partes: o infundíbulo, a ampola, o istmo e a parte uterina (na parede uterina).

Funil
A parte mais externa do ureter, que tem o formato da parte larga do funil, tem orientação inferior e póstero-medial. É móvel e seus lados são circundados pelo peritônio. Sua base é irregular, circundada por fímbrias, das quais as fímbrias ovarianas são as mais desenvolvidas, fixadas ao ligamento tubo-ovariano atrás do infundíbulo.

Associadas às fímbrias da trompa de Falópio, ou à parte mais próxima do ligamento largo, há quase sempre uma ou mais vesículas, denominadas apêndices vesiculares.

No infundíbulo, existe uma porta de comunicação entre a tuba e a cavidade peritoneal, que é o único exemplo de comunicação entre a cavidade serosa (peritônio) e a cavidade mucosa (superfície interna do infundíbulo). Essa comunicação ocorre através das trompas, da cavidade uterina, da vagina e da vulva.

Ampola
Localiza-se entre o infundíbulo e o istmo. Está localizado entre o ligamento redondo e o ligamento ovariano, mas em um plano superior.

É a parte mais longa, cerca de 7 cm, a maior parte é curvada no ovário, levemente curvada, com paredes finas. Considerada a parte mais importante do tubo, pois é a parte onde ocorre a fertilização.

istmo
O tubo se estreita no meio, tem cerca de 3 a 4 cm de comprimento, é reto, de paredes grossas e não se move com facilidade. É a continuação da ampola até o útero.

parte uterina
É a parte intramural, contida na parede do útero. Em sua parte final, a tuba e o útero se comunicam através do orifício uterino da tuba, que é muito pequeno, com cerca de 1 mm de diâmetro. Em mulheres adultas jovens que não estão grávidas, o comprimento médio dessa parte é de 1 cm.

Sua estrutura
A trompa de Falópio consiste em três partes: serosa, muscular e mucosa:

Revestimento seroso → é externo e peritoneal;
Camada muscular → média, constituída por uma camada de fibras musculares contínuas com as fibras musculares uterinas, com uma camada longitudinal externa e uma camada anular interna;
membrana mucosa → interna e contínua com o útero e contínua com o peritônio na cavidade abdominal. Ele se projeta em dobras chamadas dobras tubárias e é mais extenso na ampola. O epitélio de revestimento, que é colunar e ciliado, também ocorre na superfície interna das fímbrias.
fisiológico
O oócito liberado pelo ovário é capturado pelas fímbrias e passa pela abertura ventral da trompa, e quando o espermatozoide atinge a trompa, a fecundação ocorre algumas horas depois, geralmente na ampola.

Seja fertilizado ou não, o movimento do óvulo até o útero é mediado pela motilidade das células ciliadas e do miométrio do epitélio interno, que leva de três a quatro dias. Em alguns casos, o óvulo é fixado na trompa e ocorre uma gravidez ectópica.

Os vasos sanguíneos e nervos
A irrigação dos ductos ocorre através de ramos das artérias ovarianas e uterinas.

A primeira origina-se da aorta abdominal, desce da parede posterior do abdome, passa pela borda pélvica, cruza os vasos ilíacos externos, entra no ligamento suspensor e se aproxima da superfície lateral da trompa de Falópio.

Ramos da artéria uterina, a artéria ilíaca interna, correm ao longo dos lados do útero e perto das trompas por dentro.

A drenagem venosa é a drenagem venosa das trompas de Falópio para as veias ovarianas e plexo venoso uterino.

Os vasos linfáticos fluem para os vasos sanguíneos ovarianos dos linfonodos na cintura esquerda e direita.

A inervação também vem dos plexos ovarianos e uterinos que descem com os vasos sanguíneos.

Veja Também