Platão, quem foi ele?

Platão, quem foi ele?

Platão (427-347 aC) foi um filósofo grego antigo e é considerado um dos principais pensadores da história da filosofia. Ele é um discípulo do filósofo Sócrates.

Sua filosofia é baseada na teoria de que o mundo que percebemos com nossos sentidos é um mundo ilusório e caótico. O mundo espiritual é superior e eterno, o que realmente existe é o pensamento, que só a razão pode conhecer.

Infância e juventude

Platão nasceu em Atenas, Grécia, por volta de 427 aC Ele pertencia a uma das famílias mais nobres de Atenas.

Como todo nobre de sua época, recebeu uma educação especial, aprendendo a ler e escrever, música, pintura, poesia e ginástica. Ele é um excelente atleta e já participou das Olimpíadas como lutador.

Seu nome verdadeiro é Aristóteles, mas seu apelido é “Platão”, que significa “ombros largos” em grego.

Segundo a tradição familiar, Platão espera se dedicar à vida pública e ter uma carreira política brilhante, como descreveu em uma de suas muitas cartas.

Platão e Sócrates

Platão tornou-se discípulo de Sócrates desde muito jovem, aprendendo e discutindo o conhecimento do mundo e as virtudes humanas com este filósofo.

Quando Sócrates foi condenado à morte sob a acusação de “distorcer a juventude”, Platão não tinha mais ilusões sobre política e decidiu se voltar completamente para a filosofia.

Sua amizade com Sócrates quase o matou. Ele foi forçado a deixar a cidade e se retirou para Megara, onde morou com Euclides.

Ele viajou por Cirene, Itália e Egito e conheceu as grandes ideias da época. Eles passaram doze anos aprendendo e criando sua própria filosofia.

Instituto Platão

Quando voltou a Atenas aos 40 anos, abriu uma escola dedicada aos estudos filosóficos, chamada de “academia” porque professores e discípulos se reuniam no jardim de um cidadão rico chamado Akademus.

A pesquisa de Platão forneceu-lhe a estrutura de conhecimento necessária para formar sua própria teoria e aprofundou os ensinamentos de Sócrates.

Para dar continuidade aos ensinamentos do mestre que não publicou um livro, ele escreveu vários diálogos com Sócrates como protagonista, dando a conhecer o pensamento do mestre.

Em sua escola, Platão e seus discípulos se reuniram para estudar filosofia e ciências. No campo da ciência, ele se dedica particularmente à matemática e à geometria.

Mas o que o filósofo tentou transmitir foi sua crença profunda na razão e na virtude, usando o lema de seu mestre Sócrates: “O homem sábio tem virtude.”

Este foi o seu foco principal nos últimos anos, quando escreveu suas obras mais marcantes.

Entre seus discípulos, o mais proeminente era Aristóteles, que embora não concordasse com a opinião do mestre, ainda assim foi influenciado por ele.

Esta é a influência de Platão, mesmo depois de sua morte aos oitenta anos, o colégio ainda existe.

Em 529, quando o imperador romano Justiniano ordenou o fechamento de faculdades e outras escolas não cristãs, a doutrina de Platão se espalhou amplamente.

Em 347 aC, Platão morreu em Atenas, Grécia.

Filosofia platônica

Para explicar seus pensamentos filosóficos, Platão escreveu uma famosa história no sétimo volume da “República” em forma de diálogo: “O Mito da Caverna”.

Platão explicava que antes de ser aprisionada no corpo, a alma vivia no “mundo leve do pensamento”, retendo apenas vagas lembranças de vidas anteriores.

Para Platão, uma ideia é um objeto eterno de pensamento, usado para explicar a aquisição de conceitos, a possibilidade de conhecimento e o significado das palavras. Ele disse:

“As coisas são raras e preciosas, os pensamentos durarão para sempre.”

Platão também é conhecido por sua “reminiscência” (reminiscência).

De acordo com isso, a maior parte do nosso conhecimento não é adquirido por meio da experiência, mas a alma já sabe ao nascer, porque a experiência apenas ativa a memória.

República de Platão

“República” é uma das obras mais famosas de Platão. É uma descrição do paraíso na terra.

Nele, ele tentou criar seu “estado ideal”, onde examinou quase todas as perspectivas possíveis.

Descreveu um ensaio de teoria política em que revelou a tendência da democracia e do totalitarismo em defender o governo social absoluto do filósofo ou da classe santa, neste caso, deve prevalecer um forte igualitarismo.

Para Platão, considerando a inteligência de todos, a sociedade ideal seria dividida em três níveis:

Agricultores, artesãos e empresários – da primeira camada, prestando mais atenção às necessidades do corpo, serão os responsáveis ​​pela produção e distribuição dos alimentos de toda a comunidade.

Militar – A segunda turma, mais empreendedora, será dedicada à defesa nacional.

Os filósofos governantes – a classe alta que é mais capaz de usar a razão serão intelectuais, e eles também têm poder político: portanto, o rei deve ser eleito entre os filósofos.

Obras de Platão

Cerca de trinta obras de Platão sobreviveram, incluindo:

República (sobre justiça e país ideal)
Protágoras (ensinando sobre virtudes)
Festa (sobre o amor)
O pedido de desculpas de Sócrates (a autodefesa de seu mestre perante o juiz)
Fedo (sobre a imortalidade da alma e a teoria das idéias)
Direito (novo conceito de país)

Veja Também

Platão, quem foi ele?

Platão, quem foi ele? Platão (427-347 aC) foi um filósofo grego antigo e é considerado um dos principais pensadores da história da filosofia. Ele é

Ver Mais »